terça-feira, 4 de março de 2014

Quando o telefone toca

Quando o telefone tocou e vi quem era pensei para comigo que com toda a certeza vinha dali brincadeira.
O tom de voz do outro lado deu a entender o contrario.
Respondi cordialmente, resignadamente que sim, que sem problema e que o tem de ser tem de ser.
Hoje de manhã, depois de acordar, depois da higiene e do pequeno-almoço, depois da viagem, depois...
Eu ainda não acredito.
Não acredito que estamos aqui os três.
A trabalhar num edifício quase deserto.

É fodido ser pobre e ter contas para pagar.